Obesidade

O excesso de peso tem sido uma característica da sociedade moderna, principalmente nos países de maior desenvolvimento econômico e tecnológico. As dificuldades da vida moderna levam a necessidade de alimentação fora do ambiente domiciliar, dando preferência a refeições rápidas, baseadas em alimentos de alto valor calórico, excessivo teor lipídico, com isso os hábitos alimentares errôneos vão se ampliando e aliado ao erro alimentar está o sedentarismo.  A obesidade passa a ser um problema de saúde pública, com quase a metade da população acima do peso e conseqüentemente predispostas a outras patologias como Diabetes Mellitus , Hipertensão Arterial Sistêmica, Hiperlipidemia e doenças cardiovasculares.

A etiologia da obesidade é complexa e  multifatorial, tendo  fatores genéticos , distúrbios endócrinos, emocionais, além dos maus hábitos alimentares e do sedentarismo. A obesidade pode ser classificada pelo IMC (índice de massa corpórea) que é obtido dividindo-se o peso pela altura ao quadrado.

Mais recentemente surgiram as balanças de bioimpedância onde podemos avaliar além do IMC, o percentual de gordura corporal, relação cintura quadril, metabolismo basal, avalia-se a composição corporal: peso, massa magra e gordura segmentar.

É muito importante esta avaliação da obesidade central na bioimpedância para definirmos os portadores de SINDROME METABÓLICA, pois estes pacientes estão relacionados a uma mortalidade geral 02 vezes maior que a população  normal e mortalidade cardiovascular 3 vezes maior.

Segundo os critérios brasileiros, a síndrome metabólica ocorre quando estão presentes 03 dos 05 critérios abaixo:

Portanto, na luta para o peso ideal, estabeleça uma rotina, não fique mais que 4h sem se alimentar, tome muita água (mínimo 2l dia), faça lanches entre as refeições (frutas, por exemplo), evite alimentos embutidos, frituras, doces e refrigerantes, além das massas e associe exercício físico regular e tenha sempre uma boa noite de sono.